Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Conselho vota por tombamento da Casa da Morte, usada para tortura durante ditadura, no RJ

Votação aconteceu na manhã desta quarta-feira (21) em Petrópolis. Decisão agora cabe à Prefeitura

Por G1 — Região Serrana
21/11/2018 14h04 Atualizado há 19 horas

 

CMV estuda período de funcionamento da Casa da Morte em Petrópolis — Foto: Aline Rickly/G1

 

Por quatro votos a três, o Conselho Municipal de Tombamento votou pelo tombamento da Casa da Morte, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. A decisão ocorreu em uma reunião na manhã desta quarta-feira (21) na Casa dos Conselhos.

O imóvel, que fica no bairro Caxambu, foi usado na década de 1970, durante a ditadura militar, como um centro clandestino de torturas e desaparecimentos políticos.

A partir da decisão do Conselho, cabe à Prefeitura acatar, ou não, o tombamento. Em nota, o município disse que o conselho irá elaborar uma resolução formalizando o tombamento do imóvel.

Este documento será encaminhado ao Executivo, ainda este mês, para que seja avaliado. De acordo com a Prefeitura, o tombamento passa a valer a partir da sanção do prefeito e da publicação da resolução no Diário Oficial (DO) do município.

Segundo a Comissão da Verdade de Petrópolis (CMV-Petrópolis), este é o primeiro passo em direção ao processo de desapropriação da casa, para que ela seja transformada em um memorial.

De acordo com a presidente da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, Eugênia Gonzaga, a Casa da Morte é considerada um dos cinco espaços mais importantes do país para transformação em um Centro de Memória.

"Foi o imóvel onde pelo menos 20 pessoas foram assassinadas durante a ditadura. Quem entrava lá não saía vivo", afirma ela, acrescentando que a única sobrevivente do grupo foi Inês Etienne Romeu.

Inês ficou presa na casa por 96 dias e em 1981 denunciou o centro de tortura. A militante morreu em 2015, aos 72 anos, em Niterói.

MPF pede agilidade

Em agosto, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou agilidade no tombamento da Casa da Morte com o objetivo de preservar a memória do imóvel.

No documento enviado para a Prefeitura de Petrópolis, o órgão também pediu o tombamento de um segundo imóvel que fica na Rua Arthur Barbosa, no bairro Caxambu, que na época da ditadura fazia parte do mesmo terreno da Casa da Morte.

Para o órgão esta é uma maneira de preservar as duas casas, para que, no futuro, elas sejam transformadas em Centros de Memória e Verdade.

 

Imóvel usado para tortura passou por alterações ao longo dos anos em Petrópolis — Foto: Reprodução/Inter TV

 

Luta pela desapropriação

O assunto já vem sendo discutido nas reuniões do Conselho Municipal de Tombamento de Petrópolis há um ano.

Em novembro do ano passado, a CMV-Petrópolis, a Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, o Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade (CAAL), Centro de Defesa de Direitos Humanos de Petrópolis (CDDH), e a Coordenadoria Estadual por Memória e Verdade do Rio de Janeiro, além do MPF, criaram um Grupo de Trabalho (GT) para buscar esse tombamento do imóvel em âmbito municipal.

Para o pesquisador, Roberto Schiffler, membro da CMV, a recomendação feita pelo MPF demonstra o compromisso do órgão com a democracia, especialmente no que se refere à questão da Memória e Justiça.

"Confiamos no Conselho Municipal também como outra instituição compromissada com os valores democráticos e acreditamos que, ao constatarem a existência de um centro clandestino de tortura na cidade através de toda a documentação que enviamos, reconhecerá o imóvel conhecido como Casa da Morte como um importante patrimônio que conta uma dura, porém verdadeira história do país", afirma Roberto.

Reivindicação Internacional

Em outubro, a 'Rede de Sítios de Memória Latino Americanos e Caribenhos' (Reslac) fez um manifesto durante um encontro na Colômbia pedindo o tombamento da Casa da Morte, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. A reunião contou com representantes de 12 países.

O documento foi entregue à Prefeitura de Petrópolis, ao Conselho Municipal de Tombamento e ao vereador Luizinho Sorriso.

 

Representantes de vários países se manifestaram em favor do tombamento da Casa da Morte em evento na Colômbia — Foto: Reslac/ Divulgação

 

 

Fonte: G1, Região Serrana, 21/11/2018
Disponível em: https://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2018/11/21/conselho-vota-por-tombamento-da-casa-da-morte-usada-para-tortura-durante-ditadura-no-rj.ghtml 

registrado em:
Fim do conteúdo da página