Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Prêmio Memórias Reveladas
Início do conteúdo da página

Prêmio Memórias Reveladas

Abertas as inscrições da 4ª edição do Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas

 

Arquivo Nacional e o Centro de Referência das Lutas Políticas no Brasil – Memórias Reveladas tornam público o edital do Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas – edição 2017, que tem por objeto a premiação de monografias realizadas com base em fontes documentais referentes ao período da ditadura militar no Brasil (1964-1985).

O Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas é um concurso de monografias com base em fontes documentais referentes ao período do regime militar no Brasil (1964-1985), de periodicidade bienal, instituído pela Portaria nº 95, de 19 de novembro de 2009, e alterado pela Portaria 072/2012, ambas do Diretor-Geral do Arquivo Nacional.

O edital foi publicado no Diário Oficial da União no 230, de 1º de dezembro de 2017, Seção 3, página 112.

Os autores premiados terão direito à editoração e à publicação de suas obras pelo Arquivo Nacional. As inscrições podem ser feitas no período de 1º de dezembro de 2017 a 16 de abril de 2018.

Qualquer pessoa pode concorrer independente do nível de formação acadêmica. A análise dos trabalhos inscritos será realizada com base nos critérios definidos no edital por comissão julgadora composta por especialistas nomeados pelo diretor geral do Arquivo Nacional (Portaria nº 396, de 28 de julho de 2017, publicada no D.O.U n. 147, de 2 de agosto de 2017, seção 2, p. 42).

Esta é a quarta edição do Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas.

A primeira edição do concurso, realizada em 2010, selecionou, dentre os vinte e quatro trabalhos apresentados, as monografias “O Terror Renegado", de Alessandra Gasparotto, “Todo o Leme a Bombordo", de Anderson da Silva Almeida e “No Centro da Engrenagem", de Mariana Joffily.

Em sua segunda edição, em 2012, o prêmio recebeu vinte e sete inscrições, superando, portanto, a marca da edição anterior. Foram, igualmente, premiadas três monografias, a saber: “Dossiê Itamaracá”, de Joana Santos Rolemberg Côrtes, “Os Vigilantes da Ordem”, de Pâmela de Almeida Resende, e “Os Protagonistas do Araguaia”, de Patricia Sposito Mechi.

Em sua terceira edição, mais de trinta trabalhos foram inscritos, sendo escolhidos “O combate à corrupção durante a ditadura militar brasileira por meio da Comissão Geral de Investigações [1968-1978]”, de Diego Knack, “Do hábito à resistência: freiras em tempos de ditadura militar no Brasil”, de Caroline Jaques Cubas, e “A política repressiva aplicada a militares após o golpe de 1964”, de Claudio Beserra de Vasconcelos.

Os livros da primeira e segunda edições já foram publicados pelo Arquivo Nacional e podem ser adquiridos diretamente junto ao órgão pelo e-mail vendasdepublicacoes@an.gov.br. As obras da terceira edição estão, atualmente, no prelo, com previsão de publicação ainda em 2017.

Quaisquer pedidos de esclarecimentos a respeito do Prêmio deverão ser endereçados à Comissão Especial de Licitação: CONCURSO DE MONOGRAFIAS MEMÓRIAS REVELADAS, Arquivo Nacional Praça da República, 173 - Centro - Rio de Janeiro, CEP: 20211-350, ou, ainda, por intermédio do e-mail: memoriasreveladas@arquivonacional.gov.br

Documentos:

Edital do Prêmio (PDF)
Cópia do Edital do Prêmio publicada no D.O.U (PDF)
Ficha de Inscrição (DOC)
Calendário do Prêmio (PDF)

  

 

A edição 2010 do concurso premiou os trabalhos “O Terror Renegado" (Alessandra Gasparotto), “Todo o Leme a Bombordo" (Anderson da Silva Almeida) e “No Centro da Engrenagem" (Mariana Joffily).

As inscrições para a Edição 2012 do Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas ocorerram do dia 5 de setembro de 2012 ao dia 28 de fevereiro de 2013. Seu resultado foi divulgado no dia 13 de setembro de 2013 premiando os trabalhos: Dossiê Itamaracá: Cotidiano e resistência dos presos políticos da Penitenciária Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá-PE (1973-1979), de Joana Santos Rolemberg Côrtes; Os vigilantes da ordem: A cooperação DEOPS/SP e SNI e a suspeição aos movimentos pela anistia (1975-1983), de Pâmela de Almeida Resende; e Os protagonistas do Araguaia: trajetórias, representações e práticas de camponeses, militantes e militares na guerrilha, de Patrícia Sposito Mechi.

O resultado final da edição 2014 pode ser conferido aqui.

registrado em:
Fim do conteúdo da página